21.4.04

Jogado a seus pés, eu sou mesmo Zé Geraldo

Isto não é um post. É apenas um pretexto para usar esse trocadilho imbecil como título. Mas pode ter alguma serventia: cansei de ser confundido com o Pedrinho Mattar e vou achar legal se algum leitor me pedir para cantar "Milho aos Pombos". Sempre detestei bicho-grilice, mas há algumas coisas nesse universo que me enternecem -o bigode do Zé Geraldo, a mistura de Antônio Conselheiro com LSD que atende pelo nome de Zé Ramalho, o cabelão do Guarabyra, o blogue do Alexandre. Estou certo de que todos são uns sujeitos bacanas, desde que não cantem "Espanhola" nem "Admirável Gado Novo" a menos de cinqüenta jardas do meu ouvido. Um dia, para mostrar que amo este Brasilzão de meu Deus e sou wunderblogger, mas sou limpinho, ainda hei de interromper uma apresentação da Sinfônica do Estado, aquele bando de elitistas, gritando "toca Raul!" no meio do solo de violino.